Como organizar a mochila

Se já é difícil lidar com uma casa desorganizada, imagine a casa que levamos às costas, nossa fiel mochila cargueira. Para que você não pareça estar carregando uma tuba às costas e sim um pacotinho compacto e bem distribuído, aqui vão as dicas. Com infográfico!

por em 05/Feb/2010
Revisado por: Vê Mambrini

Atendendo a milhares de pedidos de fãs ensandecidos que lotaram a redação do blogus com suas cartas, sem mais delongas, apresento o infográfico de como organizar a mochila. Se era só isso que você queria, pode escolher a versão desejada (PDF ou Jpeg), imprimi-lo e pendurar junto aos seus equipamentos, no melhor estilo pôster de mulher pelada em borracharia. Mas, se você quer mais dicas sobre esta nobre arte, revelada a poucos iniciados em cultos mágicos secretos dos sherpas das montanhas azuis, não deixe de ler o resto do artigo.


Olhar o infográfico como imagem (para visualizar aqui no blog)
Baixar o infográfico em formato PDF (em alta resolução no Acrobat Reader, para impressão)

O tão esperado infográfico

Escolhendo a mochila

Uma boa mochila cargueira é um equipa que dá gosto de adquirir porque costuma durar muuuito tempo. A minha Trilhas e Rumos Crampon 77 é o meu item mais antigo e está beirando os oito anos, mas com corpinho de dois. Já passou por uma cirurgia de redução de buracos e um botox para uma esticada nas linhas de expressão. Então, compre uma mochila decente (leia-se: gaste um pouco mais, seu pão-duro) porque no caso de uma escolha errada você terá que aturá-la por muito tempo (não soa mesmo como um casamento?).

Dê preferência por aquelas que tem muitas divisões e recursos técnicos (como acessos frontais, suporte à CamelBak, tampa telescópica, bolsos retráteis), mas que seja especialmente confortável. Sistemas de armação rígida são obrigatórios. Barrigueiras muito bem acolchoadas também. Dê preferência a uma que tenha muitos ajustes para vocês ficarem mais coladinhos um no outro.

Cada um na sua, mas com alguma coisa em comum

As marcas que recomendo são The North Face, Deuter, Osprey, Salewa e Curtlo. Não gosto das Trilhas e Rumos, mas na Crampon Tech 77 (e somente na Crampon Tech 77) eles fizeram um excelente trabalho e eu acho que é essa a melhor relação custo/benefício. Explore cada mínimo detalhe da sua mochila, olhe como funciona cada zíper, descubra todos os compartimentos, saiba que lado da cama ela dorme, pergunte seu filme predileto. Ao chegar em casa, encha-a de coisas volumosas e pesadas (sacos de arroz, cobertores grossos, garrafas pet cheias de água) e peça ajuda de um universitário para fazer os devidos ajustes. Se você quer ser um bom aventureiro, prepare-se para ser tachado de louco.

Há quem ame tanto sua mochila ao ponto de dormir com ela

Distribuição de peso

A cerimônia de fechamento de mochila é um ritual nobre, que deve ser feito com critério e uma boa dose de nóias com organização. Faça-o um ou dois dias antes de sair para viajar, e se a trip tiver mais de 2 dias de duração, pode ter certeza que esta dança levará mais de 3 horas. Eu levo 5 horas, contadas a partir da hora de chegada do mercado, com os itens recém-comprados que vão no backpack, como dizem os americanos. Siga o infográfico e seja feliz. E não esqueça de usar sacos estanques em tudo que não pode molhar: roupas e saco de dormir, principalmente.

Não deixe sua mochila te castigar

Pacotinho

A mochila deve se comportar como um anão de jardim: deve ficar em pé sozinha. O maior segredo é colocar a barraca dobrada em forma quadrada ou retangular no fundo da mochila. Feito isso e estando descalço, comece a cômica cena de adentrar na mochila, e pisotear a barraca no fundo para ela ir assentando. Comece a preencher a mochila pelo seu corpo principal, deixando as bolsas laterais e superiores por último.

Aqui você percebe como é importante ter todos os itens que serão adicionados à ela muito bem distribuídos em uma mesa de modo que facilite sua decisão de qual será o próximo item a entrar. E conforme for adicionando as coisas, sacuda a mochila para assentar o conteúdo. Não tenha dó: pode bater a valer, ela nega, mas gosta. Só espero que você não more um apartamento cujo vizinho de baixo seja reclamão. Preencha todos os mínimos espaços vazios encaixando tudo bonitinho, e o mais importante: não deixe nenhuma ponta do que quer que seja. Certa vez, em Paraty, tive que esmurrar uma quina de panela que me incomodava nas costas. Depois disso, a sua tampa nunca mais se encaixou. E foi também depois deste episódio que eu passei a usar pratos rasos e colocá-los de pé em forma de escudo na parte que vai às costas. Conforto garantido. Se ao final sua mochila ficar em pé sozinha, parabéns. Caso contrário, tire tudo de dentro e comece novamente. No último fim de ano fui obrigado a fazer isso num dia de pressa: a mochila ficou péssima e perdi o dobro do tempo refazendo tudo.

Foi engraçado ver a reação das pessoas ao chegar no trabalho

Praticidade

Tenha uma lista mental de qual item você irá precisar com mais frequência (headlamp, barrinha de cereal, CamelBak, GPS, casaco corta-chuva etc.). Estes serão os últimos a entrar e ficarão alojados nos bolsos lateriais e tampas superiores. Itens pendurados? Nem pensar! No máximo o boot de caminhada (enquanto você viaja confortavelmente de chinelão ou papete), mas prenda-o com alguns mosquetes, não confie nunca na fita de aperto sozinha.

Se for para pegar algo, que seja rápido

Se você já tem a sua fiel companheira, este artigo tem como objetivo apimentar a relação de vocês dois. Se você ainda não tem, procure uma agora mesmo! Ela está por aí no mundo, procurando por você também. Vocês viverão momentos felizes juntos e também passarão por algum perrengue. Mas não vão se desgrudar um segundo.

Ótimas aventuras!

update: um ótimo post do Trekking Brasil sobre os detalhes técnicos de nossas queridas companheiras

:, ,

59 comentários neste post

  • jeff supertramp

    Demorou mas eis que finalmente temos o famoso post mochilesco. hehe (Infográfico devidamente arquivado no meu HD Externo.)

    Ficou show!!

  • Freitas

    Mais um post de qualidade. Uma auto-ajuda no relacionamento às vezes difícil, mas sempre necessário – a interface ser humano-mochila. Valeu!!

  • André Dalastra

    Excelente, pra variar, excelente!!!

  • Esdras

    Devolta depois de algum tempo as minhas instrutivas leituras.
    Ótimo post
    Abraço amigo

  • Rafael Falaci

    Ótimo post Lex, você realmente tem o dom para simplificar coisas que pra alguns (incluindo ai eu tbm) são o maior pesadelo….
    Sobre mochilas queria sua opinião: vale mais a pena uma campron tech 72 ou uma alpina pro 77?? a minha top life do carrefour não tá mais aguentando a quantidade de equipo….rsrsrs

    • Lex

      Olá Rafa!
      Cara, como eu disse, adoro a linha Tech (que são dois modelos) da T&R. As mochilas da Conquista não me atraem muito, elas são muito simples e seu centro de gravidade não me parece nada bom. Mas outro dia vi uma cargueira no Extra que me deixou pasmo com a qualidade e detalhes.
      obrigado e abraços!!

  • leo

    Po, nesse vc tava inspirado ein? To rindo até agora dos “cultos mágicos secretos dos sherpas das montanhas azuis”.

    E o infográfico também tá ninja. Quando eu crescer quero fazer infográficos assim!

    Como vc sabe eu não tenho nem um milésimo da sua experiência com aventuras, mas sempre achei fazer mala/mochila intuitivo e divertidíssimo. O TOC ajuda nessas horas né? hahahaha

    PS.: off-topic, já pensou em habilitar o plugin “threaded comments” aqui? só pela possibilidade de receber emails com respostas aos comments…

    • Lex

      Costeletes, obrigado! Na verdade o infográfico ficou muito aquém do que eu gostaria, mas do jeito que está quebra um galho. Fiz 5 versões frustradas, isso deu o maior trabalho — e eu também estou tentando largar o Corel Draw, essa foi minha primeira ilustração complexa no Adobe Illustrator. Quanto ao texto do post, eu escrevi isso tudo em coisa de duas horas por volta das 3 da manhã de uma noite de insônia, numa tacada só, sem auto-revisão, sem nada. A Vê que fez alguns acertos que faltavam. No que se refere a arrumação de mochila, bem, TOC em baixa escala só ajuda a vida. Quanto ao “threaded comments”, estou louco para habilita-lo qualquer hora dessas. Mas sabe como eu sou, né? Farei isso uma hora que eu tiver po referido tempo e paciência para testar e ver se tuuuudo vai sair ok. Abraços!!!

  • Edu Amador

    Fala Lex,
    Esse post como já é de costume, ficou muito bom…
    Cara, acho que conheço a mochila usada como referencia no infográfico…hehehehehe…
    Ah! Uma mochila de qualidade e bem arrumada faz muita diferença, pois nas duas ultimas trips que realizei, em uma tive que carregar na volta, toda a bagagem da minha esposa e em outra quase toda a bagagem de um brother que não estava bem de saúde. Graças a minha amada, salve, salve, mochila multimegamasterpolitranslocada essa atividade foi possível.
    inclusive me lembro do comentário de um camarada qdo pegou minha mochila no final da trip: “Cara, com esse peso você deve estar todo ferrado, ou sua mochila é muito boa…”
    Abs

    • Lex

      Opção dois, sua mochila é muito boa! Mal vejo a hora de pegar a minha. Aí seremos gêmeos de equipamentos!
      Bem, você não pode deixar de aparecer nas fotos, hehehe. Mas nas próximas você dará um show e mostrará que não sofre mais!
      abraços

  • Rafael Falaci

    Blz Lex, vou ver mais sobre a linha Tech, ah tbm tem a Montana 75 mas pelo que vi é bem espartana….vou dar um giro por ai pra ver alguns modelos….sobre o extra, qual foi o extra q vc viu? pelo que percebi vc mora na Z/L e eu moro perto do shopping aricanduva…será q vc viu no extra aricanduva??

    • Lex

      Oi Rafa, na verdade eu moro no centro. O Extra no qual eu vi a mochila foi aquele que fica entre a Corifeu e a Politécnica na Z/O. Mas acho que qualquer Extra grande o terá. abraços!

  • Mario Nery

    Adoro ver as diferenças de arrumação entre o pessoal. Eu arrumo meio diferente:

    Em cima fica igual, mas o isolante vai na frente da mochila ou na lateral, é melhor para enfrentar trilhas mais fechadas.

    Os bolsos laterais são bem semelhantes aos meus.

    No fundo, saco de dormir e barraca. Mais acima um misto de roupas e material de cozinha, nas costas a toalha, se ela não der vai junto com o saco de dormir. Em geral o camelback vai nas costas da mochila, como a toalha – por dentro, obviamente.

    Em cima de tudo logo na boca da mochila vai um anorak para as chuvas repentinas ou frio.

    As varetas da barraca sempre dentro e no canto da mochila.

    Uma coisa que eu gosto bastante é usar uma pochete pequena na frente do corpo, ali eu coloco umas barrinhas de cereal, chocolate, mel, etc… Assim tenho lanches de meio de trilha sempre a mão, não preciso pedir para alguém pegar nem preciso tirar a mochila. Ótimo para travessias. Esse macete da pochete só não dá certo se a trilha alternar com lances onde existe a necessidade de usar material de escalada. Abraços!

    • Lex

      Mario!
      Obrigado por compartilhar! A experiência de cada um é diferente e é muito bom saber as pequenas diferenças de cada um. Esses detalhes fazem toda a diferença. O lance da pochete está pra lá de certo, pois com a prática eu obrigatoriamente me tornei um contorcionista para alcançar as barrinhas na lateral da mochila
      abraços!!

  • André Guilles

    E aí Blagus. Lá na Serra foi fenomenal, com direito a subida repentina no nível da água do Rio Mogi. Espero o próximo post que pela demora deve estar ficando sensacional. Forte abraço.

  • Rangel

    E ai, blz?!
    Falei contigo rapidamente no AlleyCat, antes da corrida!
    Ótimo blog, cara!
    Abraço!

  • Luc

    post post post?????

    pena…….

    • Lex

      O importante é: eu não abandonei o blog. Apenas estava num projeto fdp no trabalho. Logo logo eu volto a postar!!! Valeu pela cobrança, Luc. abraços

  • Luc

    Vc ainda esta com o blog?

  • Odilei Medeiro

    Bom dia Lex, tudo na boa?
    Navegando na internet encontrei o seu blog, muito legal. Vi em uma de suas postagens que você cita vários endereços na internet sobre sites de aventura e em um deles você citou o Webventure e o meu Blog lá dentro http://www.webventure.com.br/blogodileimedeiro. Muito obrigado, é bom saber que as pessoas gostam. Lá você citou que não tinha como acompanhá-lo, mas se quiser seguí-lo é só entrar na página e ir no lado direito que tem um link Enviar. Coloque o e-mail ali que sempre que for publicado uma nova postagem, voce receberá em seu e-mail. Mais uma vez parabéns pelo seu blog, notícias 100%.
    Gd. Abraço.

  • Pedro Gabriel

    Não preciso dizer que cheguei a ficar emocionado com este teu blog, né?

  • paulo

    muito legal o post, aliás, to procurando uma mochila nova, encontrei um site legal, pra quem curti, fica aí a dica http://www.equipamentoscamping.com.br
    http://twitter.com/EquipameCamping

  • Augusto César

    Olá!
    Estou conhecendo o seu blog agora e gostei muito! Já virei um visitante assíduo. Eu sou iniciante nessa área de camping mas estou muito interessado! =D
    Faço parte de um clube de desbravadores, não sei se você conhece, é um grupo semelhante aos escoteiros.
    Adorei esse post sobre mochilas, eu tenho uma “ching ling” aqui que por enquanto está aguentando mas quando não der mais vou compar uma de qualidade superior, mas a parte de organização vai me ajudar bastante no meu próximo acampamento.

    Abraços!

    • Lex

      Olá Augusto!

      Ainda não conheço o o Clube de Desbravadores (me passa o link?)
      Quanto a sua ?ching ling? é assim mesmo: a gente vai melhorando o equipa com o tempo.

      valeu e abraços!

  • Augusto César

    Eh, o blog ta morto ???

    • Lex

      Bem, vamos dizer que está suspenso… meu trabalho anda me esgotando e tenho feito poucas aventuras. Mas quero voltar a mesma atividade de antes.

  • Felipe Previdi

    Muito bom todo o blog! Descobri ele ontem a noite e passei a noite na cama olhando vários posts, os mais interessantes até agora pra mim foram esse da mochila, o dos potes e das comidas, muito bom!
    Passo a te seguir no twitter e acessar o teu blog periódicamente, gostei também do teu ótimo censo de humor também, uahuahauha
    Forte abraço!

    • Lex

      Muitíssimo obrigado, Felipe. Infelizmente o blog está bem parado, só os comentários que eu respondo com certa periodicidade.
      Fico feliz que tenha gostado, forte abraço!!

  • Márcio

    Olá
    Descobri o seu blog e estou a adorar!

    Antes de mais desculpe o post longo

    Você tem muito para ensinar a quem está a começar.Eu estou a iniciar-me numa área ligeiramente diferente da sua, o Bushcrafting mas os dois conceitos partilham muita coisa, por isso queria fazer-lhe uma pergunta: o que acha deste modelo de mochila? (desculpe se estou a violar alguma regra do seu blog ao pôr o link)

    http://www.armaslajungla.com/catalog/popup_image.php?pID=4306&osCsid=65e745bab5b30bfa70

    Tem 110 litros, aparentemente bons suportes para o corpo.
    Abraço de Portugal!

    • Lex

      Olá Marcio!
      desculpe a demora em responder, espero que ainda dê tempo…

      Eu particularmente não gostei muito da mochila que você mostrou: ela é muito larga e baixa, e uma mochila deste tamanho (110l) deve ser mais comprida e fina, para não desequilibrar durante a caminhada. Observe algumas marcas como Curtlo, Salewa e Deuter e verá que elas seguem este conceito.

      O que é bushcrafting?
      Imagino que aí em Portugal devem ter excelentes lugares para a prática de esportes de aventura!!

      fortes abraços e quando quiser andar por aqui, dê um toque!

      • Márcio

        Obrigado e não tem problema nenhum pela demora! 😉

        Bushcraft pode ser definido como: aproveitar ao máximo o que a natureza nos oferece (sem destruir nem perturbar nada claro!)viajando com o mínimo possível e aprendendo os conceito ancestrais de como viver a vida em contacto com a natureza. É um conceito muito próximo do conceito de “sobrevivência” mas menos “dramático”, penso que me fiz entender. Se você procurar já existem muitos fóruns dedicados a esta actividade no Brasil.

        Em relação à mochila você tinha razão! com o tempo percebi que ela não serve para mim: quer pela forma que tem e quer pela capacidade, 110l é MUUIIIITTTTOOO para o que eu preciso 65l já chega e sobra!

        Sim Portugal é óptimo para desportos de aventura!
        Abraços

  • Moaci Judson

    Pois e, tá parado mesmo!
    Espero que logo,logo vc tenha tempo ou ânimo, não sei qual seu caso! para voltar a ativa!
    Pq e um ótimo blog, como poucos ….]
    Até mais

  • Marvin

    …Cara só tem uma coisa … a melhor mochila da T&R é a Crampon 68 que apesar de ter um volume menor é bem mais técnica do que a 77 Tech, tiras longas pra objetos externos (o que aumenta consideravelmente a capacidade de carga), 3 divisões internas, telescópio bem distribuido, mochila de ataque removivel com divisor e saida pra mangueira de hidratação, na própria mochila tambem tem essa saída, apito S.O.S no peitoral, muito justa, laços pra bastões de trekking, capa de chuva e tudo mais … na verdade é a única da T&R que não deve em nada pros modelos gringos …

    • Lex

      Sim, acabei de chegar da Chapada e um amigo que foi comigo tem este modelo, a 68. Ela é mesmo uma excelente mochila, mas esse amigo meu gostaria de um pouquinho mais de espaço. Imaginei que a (nova) Crampon 77 Tech compartilhasse exatamente essas características.

  • Marvin

    … é verdade, tenho que concordar que no quesito “espaço interno” a 77 tech seja mesmo supeior … cara ela ficou mais alta que a sua mesa de escritório O.o …

    Parabens pelo Artigo !

  • Paulo Nogueira

    Lex, tá faltando aventura aqui hem… rsrsrs
    Abraço men

  • Bellerofonte

    Foi mal, mas já está tudo resolvido, já creditei a matéria ao respectivo autor. Aproveitarei para dar uma olhada em seu blog, muito interessante.

  • Rodolpho

    Olá! Parabéns pelo site e pelas aventuras!

    Também tenho o mato como habitat preferido. Gostaria da sua opinião sobre as mochilas da Quechua (Decathlon). Estou de olho numa 60+10L que achei fantástica (centro de gravidade, bolsos, acabamento, etc.)

    Abraço!

    • Lex

      Olá Roddolpho, muito obrigado!
      Broder, se for a mochila que eu estou pensando, preta e vermelha eu gostei bastante também. Uma amiga minha a comprou e pudemos testa-la no rio Mogi. E o preço está bom. Não parece ser uma mochila para a vida inteira, mas vai dar conta do recado.
      abraçones

  • Kleber

    Saudações Lex!

    Cara, formei aquele grupo que te falei nos reunimos fim de semana passado onde apliquei uma mini palestra sobre mochila, estudei, pesquisei, reuni material e mergulhei de cabeça, inclusive apresentei este infográfico seu mantendo os direitos autorais é claro e citando seu blog, foi sucesso total! forte abraço.

  • Sara

    NOssa, muito massa esse blog!! Vou acampar pela primeira vez sozinha daqui uma semana, pra Ilha Grande. Estou muito ansiosa, mas este blog me ajudou muito.
    Brigadão!!
    Quando voltar eu conto tudo!!
    bjoes

  • Francisco

    Bacana o post. Gostaria de saber o que tu acha de usar as fitas laterais (a mochila no desenho tem) para prender uma barraca. Eu sempre faço isso quando vou acampar, mas geralmente tenho algo para fazer contra-peso nas fitas opostas, como lona e etc.

    • Lex

      Hummm… errado! Dois motivos: o primeiro, a barraca vai cair. Não adianta vir de mimimi, falar que tá bem preso. Um dia ela vai car. Segundo: desequilibra a mochila, mesmo contra-balanceando com outra coisa do outro lado. E aí entra em cena o terceiro problema: o contra-peso vai cair também. Se o que você tem para colocar não cabe na mochila, a única solução definitiva é adquirir uma mochila maior. Lição de casa: repetir dez vezes na frente do espelho: lugar de barraca na mochila é dobrada em forma quadrada ao fundo.

5 Trackbacks / Pingbacks para este post

Responda