Autor do arquivamento

Comendo na trilha

por em 22/Jan/2010, sobre técnicas

Joana Rocha escreveu este artigo com base na sua larga experiência como gourmet aventureira. Também é presença garantida em quase todas minhas aventuras. Mesmo com todo o espaço do mundo para suas receitas no agreste sonha com uma cozinha maior em casa

Planejar uma viagem de aventura requer muitos cuidados estratégicos, muitos deles já abordados neste blog. Com o planejamento alimentar não é diferente, já que o que você vai comer é que vai garantir a energia para seguir em frente sem sobrecarregar o corpo. Em viagens muito curtas, de horas ou no máximo de um dia, você pode se valer de sanduíches, biscoitos e quem sabe até dos famigerados miojos. Em viagens mais longas, no entanto, o cardápio necessita de mais critério, pois suas principais refeições serão o café da manhã e o jantar. Raramente há almoço, pois perde-se muito tempo montando toda a parafernália.

Café da manhã reforçado

Com apenas duas refeições principais é preciso um maior reforço alimentar. Carboidratos para dentro então. Na cidade a porcentagem necessária deste nutriente, por refeição, é de 40% a 50%. Numa viagem de aventura esse percentual sobe para 70%. Se você é fã da dieta das proteínas, é bom mudar seus conceitos. Aliás, proteínas é que menos se ingere nessas viagens.

Quando comecei a trilhar, há uns anos, as opções disponíveis para trilhas eram poucas, resumindo-se a alguns enlatados e embutidos altamente gordurosos e de gosto muito ruim, limitando o cardápio a arroz e macarrão. Hoje, isso não é desculpa para se comer mal em trilhas. Muitas coisas que antes só havia em lata, hoje dá para encontrar em versões embaladas a vácuo, mais leves e que produzem menos lixo. E melhor: a qualidade desses produtos melhorou 100%. Exemplos: atum, embutidos, carnes prontas, legumes pré-cozidos e feijoadas. Com um pouco de criatividade dá para fazer verdadeiros banquetes no mato. Duvida?

O café da manhã

Importantíssimo! É o que vai segurar a onda durante as muitas horas de caminhada pela frente.

Pães: geralmente leva-se pão de forma ou francês. Esqueça-os! Ocupam muito volume e estragam muito rápido. Sugestão? Pão sírio é uma beleza. Pouco volumosos e levíssimos, duram muito mais tempo

Parecem quipás mas são pães sírios

Pizza: creia, é muito bom. Leve as minis, dentro de potes redondos. A massa dura bastante tempo também. Faça-as com tomate seco, cogumelos secos ou em conserva, atum, presunto e o que mais sua imaginação deixar. Dá pra fazer pizza doce também, com Nutella, frutas secas, bananas, e amêndoa ralada. Muitas dessas coisas são encontradas facilmente em mercados municipais, feiras e ceasas. Vale a pena perder um tempo nesses lugares, pois os preços compensam

Se você queria que a pizzaria entregasse no mato, seus problemas acabaram

Pizza de chocolate, a especialidade da casa

Tomates secos desidratados picadinhos para a próxima pizza

Queijo e presunto: o queijo tem mil e uma utilidades e boa durabilidade. Dá pra pôr no pão, na pizza, comer antes da janta com rodelas de salame e durante a trilha também se a pressão baixar e precisar de um salzinho. Presunto é legal, mas tem um problema: dura pouco. Por isso leve-os apenas para os dois primeiros dias. Para os seguintes, substitua-o por salame

Ovos: são um pouco chatos de levar devido sua fragilidade, mas valem a pena pela felicidade que proporcionam através de omeletes e ovos mexidos no capricho. Dá para fazê-los com os mesmos ingredientes da pizza. Veja uma sugestão de como levá-los

Ovos mexidos com pão sírio

Omelete inteiro no prato quebrado. Ao lado suco de pozinho e ao fundo massas de pizza

Café, leite e suco: eu gosto de levar sachês de cappuccino. São leves, práticos e gostosos, mas um pouco caros. Sugestão: faça uma mistura de café solúvel, leite em pó e açúcar e leve tudo num só pote. Em se tratando de suco, não tem como escapar dos pózinhos

A gente também curte um pó: Edu preparando um suco fluorescente

Mandioca e banana-da-terra: são meus preferidos! A mandioca já é encontrada cozida e embalada a vácuo. Se tiver com o dinheiro curto, leve-as in natura mesmo, lembrando que com a casca ela dura um pouco mais. Além de comê-la no café, dá pra comer na janta também. Já a banana-da-terra, melhor consumir nos primeiros dias, por ser altamente perecível. E não esqueça da manteiga por cima!

O jantar

Tão importante quanto o café da manhã. Vai repôr a energia e os nutrientes perdidos durante o dia, livrando-o da fadiga e ajudando na recuperação física.

Feijoada: por que não? Há alguns anos não se cogitava levá-la para uma trilha. Só havia as enlatadas, que eram altamente gordurosas. Um nojo! Mas hoje já existem as opções embaladas a vácuo, mais saudáveis e saborosas e mesmo as enlatadas melhoraram muito. Opção pá-pum! Arroz, farofa e legumes para acompanhar. Há também o feijão carioquinha e somente feijão preto, sem os ingredientes da feijuca

Arroz: é o curinga da culinária de aventura. Sugestões:

  • risoto de cogumelos secos
  • arroz com lentilha e calabresa (se for vegetariano, substitua a calabresa por legumes ou proteína de soja)
  • arroz com carne seca e calabresa
  • arroz com leite de coco
  • arroz com curry

Arroz com lentilha e linguiça

Carnes: super desaconselháveis de levar pelo seu alto teor perecível. Mas se você não consegue viver sem, dá pra se virar muito bem com carne seca, calabresa, bacon ou carnes prontas em pacotes. O bacalhau é também uma opção, apesar de ainda não ter experimentado, já que o sal o conserva por bastante tempo

Macarrão: idem arroz, use sua criatividade

Couscous marroquino: grãos de semolina usados como base na alimentacao no Marrocos. Substitui facilmente o arroz, bastando adicionar água quente e deixar de molho por 10 minutos. Com legumes e ingredientes como nozes, amêndoas e passas fica delicioso. Sirva-o com carne seca, calabresa ou com proteína de soja

Purê de batatas em flocos: rápido, prático e fácil. Pode ser preparado com leite ou água

Legumes: leve-os in natura apenas para os dois primeiros dias. Para os seguintes melhor levar enlatados ou embalados a vácuo

Outros: há uma infinidade de outros ingredientes que podem ser levados para a trilha sem nenhum problema e que vão dar um gosto todo especial ao rango. Leite de coco e creme de leite em caixinha são bons exemplos

Arroz com leite de coco preparado à luz de headlamp

Antepastos

Pequenas refeições rápidas servidas antes da janta, quando a fome está falando mais alto. É necessário para evitar que se queime a língua com a janta ou que se coma além da conta passando mal à noite

Salame: embutido altamente durável. Mesmo depois de aberto dá para consumi-lo em até dois dias. Com queijo cortado em cubinhos é perfeito. Pode ser usado também em substituição ao presunto, que estraga muito rápido. Se tiver sorte e achar um limãozinho pelo caminho, vá com força!

Será que o dedo fará parte do cardápio?

Contínuos

Alimentos que servem de coadjunvantes na alimentacao durante o dia. Evite chocolates e doces industrializados, eles demoram para liberar a glicose na corrente sanguínea, reduzindo o desempenho e contém muita gordura. Dê preferência as barrinhas de cereal sem chocolate, frutas secas ou in natura ou mesmo suplementos de carboidrato em gel. Se você é fã de doces e não consegue viver sem (e eu me incluo aí), deixe-os de sobremesa, para depois da janta

Alimentos liofilizados

São alimentos em que é retirada toda a sua água, mas mantendo todos os nutrientes necessários a uma boa alimentacao. Até alguns anos atrás eram utilizados apenas por astronautas. Foram adotados também por aventureiros pela vantagem de serem extremamentes leves e terem uma durabilidade incrível. O ponto negativo: são extremamente caros. Mas se interessar, visite o site da LioFoods

Eles ficaram de queixo caído ao saber qual seria a janta

Algumas dicas

  • Café com leite: Para cada 100 gr de café solúvel, use 250 gr de leite em pó. A medida de açúcar é a mesma do café ou de acordo com seu gosto
  • Leve queijo e presunto já fatiados para o pão. Eles ficam molengas por causa do calor, dificultando o corte
  • Se for fazer arroz com lentilha, leve-os já misturados no mesmo pote, na proporção de 1 para 1
  • Não dessalgue a carne seca em casa, ela vai estragar. Experiência própria. No dia que for prepará-la, arme acampamento um pouco mais cedo e deixe a carne dessalgando por 1 ou 2 horas em água fria. Se tiver a mandioca, dá para improvisar um belo escondidinho
  • Ao utilizar cogumelos secos, hidrate-os antes em água quente, por uns 20 ou 30 minutos
  • Couscous marroquino: para cada copo de couscous use 1 de água. Misture um pouco de manteiga
  • Sabe aqueles saches de shoyo dos tele-china? Dá pra fazer um belo yakisoba com macarrão e legumes
  • Temperos são muito bem-vindos: curry, ervas desidratadas, açafrão, pimenta moída etc. Em feiras é muito fácil achar excelentes mix de temperos
  • Se o roteiro permitir, faça as refeições nas cidades ou vilas localizadas no caminho, ou compre ingredientes frescos como peixes e frutos do mar, para preparar a comida. Mas compre apenas o suficiente para a próxima refeição, para evitar desperdícios

Orégano, pimenta, chá, queijo ralado, curry e café

Com os ingredientes e dicas citados acima, dá para fazer delícias e esquecer de vez os miojos insossos. Só come mal em viagens de aventura e trilhas quem quer. Faça alguns testes em casa e adapte o cardápio conforme seu gosto. Como diz o ditado, “o que não mata, engorda!” ?

Twitter

Agora o Blogus tem conta no Twitter! Você pode ver as últimas mensagens na barra direita ou, melhor ainda, nos seguir. Esta conta foi criada para apresentar as últimas novidades, promoções, posts interessantes de outros blogs e muitas outras “notícias rápidas” do mundo da aventura

40 comentários :, , exibir comentários...