Vida de ponte

Entre 2001 e 2004 eu passava meus finais de semana no famoso viaduto da av. dr. Arnaldo sobre a av. Sumaré aqui em Sampa City. Para quem não conhece, o viaduto fica sobre uma estação de metrô (Sumaré) e tem generosos 30 metros de altura. O metrô passa logo abaixo dela e é muito bonita. […]

por em 31/Jul/2009
Ocorrido: em fevereiro de 2003

Entre 2001 e 2004 eu passava meus finais de semana no famoso viaduto da av. dr. Arnaldo sobre a av. Sumaré aqui em Sampa City. Para quem não conhece, o viaduto fica sobre uma estação de metrô (Sumaré) e tem generosos 30 metros de altura. O metrô passa logo abaixo dela e é muito bonita.


Viaduto da av. dr. Arnaldo visto da av. Sumaré

O que era mais legal desse viaduto é que ele era palco dos esportistas radicais: todo mundo fazia rapel nele. Era só chegar com a sua corda e equipamentos, ancorar e descer. Ainda é muito comum ouvir pessoas que desceram ali. A técnica de longe mais executada ali é o rapel e isso era tema de incontáveis discussões e os escaladores torciam o nariz para o movimento dos “rapeleiros”. Outra técnica que algumas pessoas de conhecimento técnico mais elevado faziam era a tirolesa. E uma pequena “elite” fazia o rope jump.

O rope jump é muito parecido com o Bungee Jump, só que a diferença é que você salta com a corda esticada e faz um pêndulo gigante. Assustador ? Divertidíssimo ! Eu sempre ia na sexta-feira a noite e depois de certa hora todos estacionavam o carro em frente a minha ancoragem. Aquele lugar lotava ! Certas noites não havia local para ancorar. Sempre gostei muito das técnicas verticais e estudei muito para aprender a montar o meu rope jump. E comecei a pesquisar novas técnicas de ancoragem rápida e proteção mais eficiente do meu equipamento. Eu já preparava meu sistema para salto de uma até quatro pessoas e bolei sistemas de auto-resgate quando fui esquecido pelos amigos, ficando pendurado lá um tempão debaixo de chuva.


No parapeito do viaduto pronto para saltar

Tenho incontáveis histórias (das mais engraçadas às mais cabeludas) mas a que eu quero lembrar neste post foi aquele que ficou sendo por muito tempo o record mundial, o 11 mandamentos. Pulamos do viaduto, simultaneamente em 11 pessoas. Tudo começou quando o Fernando, Rafael e Band ficavam me contando do record deles, em oito. Então comecei a organizar junto com o pessoal do Sem Limite o novo recorde. Juntei meu equipa com o do David e contei com a ajuda incálculável do meu grande mestre Yoda, o Fernando. O que era para ser um rope de 10, na última hora foram 11. Ele chegou, se plugou junto de nós e coordenou o momento do pulo.


Os 11 Mandamentos

A ponte ficou por muito tempo “fechada” devido a serie de acidentes no rapel por rapeleiros irresponsáveis. Andei sondando o viaduto há pouco tempo e parece estar passível de voltar a saltar de lá. Estou atualizando meu equipamento e espero em poucos meses voltar a sentir a sensação de gravidade zero. Termino este post com o adrenadíssimo tributo ao Dan Osman, criador do Rope Jump.

:, ,

4 comentários neste post

  • Eduardo

    Alex, show as postagens… Cara!! bateu uma puta saudade daquelas madrugadas que passavamos saltando. A homenagem a Dan Osman foi realmente fabulosa… abs. Edu

  • Sunflower

    E hoje, como é que vai a coluna?

    beijas

  • Andre Eduardo Galdini

    Nossa cara… esse tal de Dan Osman é mesmo bem doidão….rs. Pirei neste vídeo-tributo!!! Parabéns Lex, adorei a música também, sou fã do Metallica e de várias outras bandas q “estimulam” à pratica dos esportes radicais em geral. E viva o mundo radical!!! Galdini.

  • Lex

    Porra, Galdini, agora toda vez que tô fazendo vertical fico pensando na Unforgiven…

    Este vídeo é catabólico.
    Dan Osman, amém !

    abraços

Responda